Médicos brasileiros acompanham primeira cirurgia filmada em 4K a 1000 fps

Foto: Divulgação/RNP.

Foto: Divulgação/RNP.

Equipes de universidades brasileiras acompanharam a primeira cirurgia feita em 4K mil fps, a maior resolução possível nesta tecnologia. A demonstração tornará possível procedimentos mais seguros, sobretudo para intervenções oculares.

Equipes do Laboratório de Aplicações de Vídeo Digital (LAViD) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), da Universidade Mackenzie e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) exibiram as imagens da primeira cirurgia oftalmológica a laser captadas com uma câmera capaz de filmar mil quadros por segundo em definição 4K, um padrão de altíssima resolução, no CineGrid. A demonstração feita na Universidade da Califórnia em San Diego (UCSD), nos Estados Unidos, permitiu ao público ver com nitidez a ação do laser na córnea do paciente, o que não pode ser visualizado a olho nu.

Uma das tecnologias que permitiram essa experiência foi o Fogo Player, um conjunto de softwares criado por pesquisadores do LAViD, que torna possível a projeção de filmes na 4K e em 3D. Outra particularidade do sistema é viabilizar uma comunicação instantânea entre os envolvidos no evento transmitido e o público. O projeto vem sendo desenvolvido desde 2011, com apoio da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP/MCTI).

O vídeo foi captado e reproduzido sem compressão a mil frames por segundo (fps) em uma taxa de transmissão maior que 100 Gb/s. As imagens da cirurgia oftalmológica foram registradas com uma câmera especial Phantom, capaz de gerar em torno de um Terabyte (TB) de dados a cada três minutos.

A captação das imagens foi feita pelas equipes do Laboratório de Artes Cinemáticas (LabCine), da Universidade Mackenzie, e do Laboratório Telessaúde Brasil Redes da Unifesp. O projeto é apoiado pela RNP como parte das atividades do Comitê de Prospecção Tecnológica em Vídeocolaboração.

No futuro

Segundo o pesquisador da Unifesp, Cícero Inacio da Silva, o desenvolvimento dessa tecnologia permitirá que os residentes da área de oftalmologia, ligada ao campo da cirurgia refrativa, possam observar a ação do laser no paciente e visualizar os efeitos do laser na córnea. A ideia é poder criar condições para que as cirurgias, em um futuro próximo, sejam transmitidas para diversas localidades, auxiliando na formação de residentes médicos na área da oftalmologia.

Ele afirmou que um dos desafios que a equipe do Brasil anunciou durante o CineGrid 2015 é fazer a transmissão ao vivo de uma cirurgia captada a 1000 fps em 4K, no próximo CineGrid, que acontecerá em San Diego, em dezembro de 2016. O desafio demandará cerca 120 Gb/s de conectividade dedicada conectada diretamente à câmera, o que ainda não existe entre Brasil e Estados Unidos, mas que poderá ser desenvolvido em breve para que essa conexão científica se estabeleça nos campos da telemedicina, telessaúde, videocolaboração e visualização avançada.

Fonte: MundoBit

Anúncios

About carlosfabiano

Analista de infraestrutura e Segurança Professor de Tecnologia da Informação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: