A McDonald’s quer te conhecer melhor

Esta semana, a McDonald’s reabriu uma das suas unidades mais famosas – a que fica no cruzamento da Avenida Brasil com a Rua Henrique Schaumann, em São Paulo – totalmente reformada, adequada às novas diretrizes da empresa de fast-food. A loja conta com máquinas de autoatendimento e tablets nas mesas à disposição dos clientes.

Os pedidos podem ser totalmente personalizados, adicionando molhos e itens de outros hambúrgueres. Mudanças que deverão chegar às 904 unidades da marca em todo País dentro dos próximos dois anos, e que vêm ocorrendo em todo o mundo, em um projeto mundial da marca.

Tanto quanto dar aos clientes a possibilidade de customizar uma refeição ao seu estilo, a McDonald’s quer conhecer melhor os hábitos dos frequentadores das lojas, e assim planejar melhor ofertas, promoções e até a própria construção do cardápio. “Por trás dos totens e do aplicativo, há uma inteligência na coleta de dados que nos permitirá distinguir as características particulares de uma região, um estado, uma cidade e até um indivíduo, e trazer aprendizado para o negócio”, explica Paulo Camargo, presidente da Arcos Dorados (operadora do McDonald’s) no Brasil.

Os dados de consumo serão coletados (voluntariamente) dos usuários através do aplicativo da McDonald’s e dos totens e poderão ajudar a criar campanhas para as lojas da rede ou até individualizadas para os clientes. “Uma pessoa que vem sempre na unidade fazer uma refeição, mas nunca foi ao café, pode ganhar uma cortesia diretamente pelo app, por exemplo”, conta o executivo.

O aporte de informação que a empresa espera ter dos consumidores, e as soluções que poderão ser criadas a partir disso, criam na marca a expectativa de gerar novas oportunidades de negócios. “O menu dos totens conversa com os caixas e quiosques de pedidos. Então eu posso, do meu escritório, customizar promoções em cada ponto de venda dependendo do estoque de produtos – levando em conta qualquer variável, como temperatura, perfil de público e horários de maior consumo”, completa Camargo.

Fonte: Mundo Bit

Anúncios

Você sabe o que é um Bitcoin?

A moeda virtual não emitida por nenhum governo apareceu em 2008 no grupo de discussão “The Cryptography Mailing”. Naquela época, poucos imaginavam a valorização e importância que teria no futuro.

O que é a Bitcoin?

Tecnologia criada em 2008, a Bitcoin é uma moeda virtual, uma criptomoeda – ou cryptocurrency, porém as “cédulas virtuais” não são emitidas por nenhum governo e não possuem um órgão regulador o que dificulta um pouco seu uso e gera muitas dúvidas sobre o que pode, e o que não se pode fazer com Bitcoin.

Quem a criou?

Desde o surgimento da Bitcoin, a identidade do criador nunca tinha sido revelada. Há pouco tempo, com pseudônimo Satoshi Nakamoto, o criador revelou sua identidade e se chama Craig Wright, um empreendedor australiano.

 É possível fazer compras com a Bitcoin?

Sim. Ela é como qualquer outro tipo de dinheiro, compras podem ser feitas em marcas como DELL e Tesla, na plataforma de blogs WordPress e também, no site de música Soundcloud. Pode-se realizar transferências de dinheiro pela internet, adquirir games digitais, fazer doações para instituições globais conhecidas como Wikipedia ou Greenpeace. Pagar hospedagens, mercadorias em geral e produtos online também fazem parte da ampla variedade de pagamentos que podem ser feitos com a Bitcoin. Atualmente, há diversos varejistas online, lojas e marcas que estão aderindo ao Bitcoin como forma de pagamento de seus produtos e acreditamos que ao decorrer dos anos diversas marcas irão aderir a essa tecnologia.

Quando vale investir na bitcoin?

É imprevisível. É uma relação de custo x benefício como qualquer outra moeda. Não tem como prever um bom momento para investir em Bitcoin. O preço é determinado pela lei da oferta e demanda, sendo bastante volátil ainda. Vale lembrar que, por ser uma moeda fácil e prática, está atraindo cada vez mais clientes, mas é limitada e escassa no mercado.

 

Como fazer para abrir uma conta em uma bolsa de bitcoin no exterior?

É possível comprar bitcoins nos mercados internacionais, como: Coinbase, Circle, Kraken, Bitstamp, DriveWealth e SpectroCoin.

O processo de abertura de conta é fácil. Primeiro, precisa conectar uma conta corrente a sua conta em algum mercado ou bolsa Bitcoin, este mercado deve estar disponível no país da sua conta de destino. Ao escolher a sua bolsa Bitcoin, você deve entrar no site para se cadastrar. Os documentos necessários para realizar o cadastro na maioria das bolsas são: RG, passaporte e comprovante de residência (alguns exigem o comprovante com tradução certificada para o inglês), e uma carta do banco ou extrato de meses anteriores. Em poucos passos, você abre a sua conta em uma bolsa de Bitcoin e já pode começar a investir.27

Compartilhe qualquer tipo de arquivo no WhatsApp

Uma nova atualização no WhatsApp trouxe um recurso muito pedido pelos usuários. Agora, é possível compartilhar qualquer tipo de arquivo existente com sua lista de contatos.

A função conta com limite de arquivos de até 100MB para dispositivos com sistema Android e iOS, e já está disponível para todos os usuários.

A nova atualização permite um compartilhamento mais fácil de arquivos, sem que eles percam qualquer resolução, afirma a nota enviada pela empresa.

Fonte: Whatsapp